« Voltar

Tomada de posse da nova Diretora

No dia 27 de julho de 2021 tomou posse perante o Conselho Geral a nova diretora, Dra. Maria Isabel do Carmo Dionísio.

27 de julho de 2021

DISCURSO DE TOMADA DE POSSE

Exma. Sra. Dra Paula Teixeira em representação da Sra. Diretora Geral da Administração Escolar,

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral,

Exmos. Membros do Conselho Geral,

Exma. Senhora Diretora,

Estimados colegas de equipa que irão integrar a Direção,

Caros colegas coordenadores de escola.

Minhas Senhoras e Senhores, a todos os meus cumprimentos

Em primeiro lugar gostaria de agradecer a presença da Sra. Dra. Paula Teixeira em representação da Sra. Diretora Geral da Administração Escolar que muito me honra. Peço-lhe que transmita à Sra. Diretora Geral o meu agradecimento pelo desenvolvimento profissional que me proporcionou, ao ter permitido a minha integração no gabinete jurídico da DGAE, onde adquiri conhecimentos e competências que certamente serão úteis nas novas funções que irei desempenhar. Da passagem pela Direção de Serviços Jurídicos guardarei, principalmente, um grupo de amigos fantástico.

Embora noutro local e com outras funções continuarei a trabalhar ao serviço do Sistema Educativo Português, pelo que, certamente, teremos oportunidade de nos voltar a encontrar.

Agradeço também à Senhora Presidente do Conselho Geral pela forma digna como conduziu o procedimento concursal que culmina neste dia de tomada de posse.

Aos elementos do Conselho Geral agradeço o voto de confiança que me conferiram, consubstanciado na votação do meu projeto de intervenção para o Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves.

À Senhora Diretora, Dra. Laurinda, agradeço principalmente o facto de receber uma escola bem organizada, funcional, dinâmica e de referência para a comunidade envolvente; resultado de um trabalho árduo, desempenhado com uma entrega total, durante largos anos. Estou grata também pela forma generosa como está a passar o testemunho. Espero continuar a contar com o seu inestimável contributo nos projetos do Agrupamento que irá abraçar.

Não posso deixar de prestar a minha homenagem a todos os professores deste Agrupamento que durante os dois últimos anos letivos se desdobraram em esforços para continuar a prestar um ensino de qualidade em condições particularmente difíceis.

Importa não esquecer também o esforço de todos os funcionários que viram a sua responsabilidade aumentada, nomeadamente a nível da higienização e desinfeção dos espaços e materiais e na aplicação das normas de segurança anti covid nos espaços fora das salas de aula. A todos o meu reconhecimento.

Finalmente, agradeço aos colegas que aceitaram o desafio que lhes lancei para que integrassem a Direção e que aproveito para apresentar: Dra. Paula Oliveira que irá desempenhar as funções de Subdiretora,  Dra. Cristina Pereira,  Dra. Patrícia Jordão e  Dra. Margarida Baptista que serão Adjuntas da Direção.

A todos os coordenadores o meu muito obrigado pela disponibilidade para assumirem estas funções, as quais acrescem ao seu trabalho como titulares de turma.

Considero como missão deste mandato pugnar pelo cumprimento do artigo 73.º, n.º2 da Constituição da República Portuguesa, o qual determina que:

“O Estado promove a democratização da educação e as demais condições para que a educação, realizada através da escola e de outros meios formativos, contribua para a igualdade de oportunidades, a superação das desigualdades económicas, sociais e culturais, o desenvolvimento da personalidade e do espírito de tolerância, de compreensão mútua, de solidariedade e de responsabilidade, para o progresso social e para a participação democrática na vida colectiva.”.

Neste sentido é preciso que a Escola Pública continue a ser um “ascensor” social e isso só se tornará possível com um ensino de qualidade, pelo que não nos podemos conformar, de modo algum, com um menor denominador comum. Estou certa que a maioria de nós quer levar os nossos alunos muito para além desse patamar, através da exigência e rigor que nos caracterizam como Escola.

Portugal conseguiu alfabetizar a esmagadora maioria dos seus cidadãos, importa agora ir mais longe e apostar na literacia, nas suas várias vertentes e no desenvolvimento de competências. O êxito ou insucesso da Educação irá refletir-se inelutavelmente no futuro da nossa Pátria.

O desafio da Educação é hoje particularmente difícil. Estamos a preparar jovens para profissões que ainda nem sequer existem. Vivemos num mundo em que alguns, muito poucos, por algum capricho, podem ir ali dar uma “voltinha” ao espaço, deixando com isso uma pegada ecológica absolutamente imoral, enquanto outros morrem à fome ou vivem à míngua.

Desejo que os alunos que frequentam este Agrupamento se formem como cidadãos de pleno direito, críticos, interventivos, criativos e capazes de contribuir para a construção de um mundo melhor, mais justo, mais tolerante, mais sustentável.

A mudança de direção numa escola, se por um lado representa o final de um ciclo da vida da Escola, por outro abre uma nova janela de oportunidades, com novos desafios. A escola tem de saber adaptar-se às mudanças que a sociedade lhe impõe, sem sobressaltos e sem roturas indesejáveis.

Sendo certo que não olvido o modelo de gestão imposto pelo legislador, o qual imputa ao Diretor a responsabilidade pela administração e gestão das áreas pedagógica, cultural, administrativa, financeira e patrimonial.

Importa, ainda assim, esclarecer que estilo de liderança me proponho implementar. Recuso o estilo de liderança “laissez passer” (deixa andar), tal como o estilo autoritário; outrossim, proponho-me implementar o estilo de liderança transformacional.

James McGregor Burns definiu a liderança transformacional como um processo em que “líderes e seguidores elevam-se uns aos outros a níveis mais altos de moralidade e motivação”.

A abertura à mudança, num ambiente motivador da diversidade de opiniões e propostas, não pode esquecer um conjunto básico de valores, convicções e princípios éticos na sua atuação.

Que todos possam propor ideias diferentes e inovadoras gerando, num espírito de equipa e de pertença, níveis mais elevados de desempenho e permitindo o desenvolvimento pessoal e coletivo.

As necessidades e sentimentos de cada um contam, pois só assim será possível desenvolver o potencial de proatividade de cada um.

A motivação inspiradora e o estímulo intelectual das lideranças intermédias deverão acolher tanto os objetivos individuais quanto os do grupo.

Neste caminho, contaremos com a colaboração inestimável dos Pais e Encarregados de educação, e bem assim com os nossos parceiros da comunidade, nomeadamente da Autarquia.

Conto com todos!

Contem comigo!

A bem da formação dos nossos alunos – o nosso desígnio maior!

Bem hajam!

Escolas
do Agrupamento

Jl da Pena :: EB1 Nº1 :: EB1 Sampaio Garrido :: EB1 Natália Correia
EB1 Arq. Victor Palla :: EB23 Nuno Gonçalves :: ES D. Luísa de Gusmão